• Viagem Sem Escalas

Um roteiro por Belém e arredores

Atualizado: Out 9

O Viagem Sem Escalas traz mais um roteiro para passar o dia inteiro em Lisboa. Desta vez, o percurso é em Belém - entre a Torre de Belém, o Padrão dos Descobrimentos, o Mosteiro dos Jerônimos e, claro, os pastéis de Belém na tradicional fábrica onde são feitos as guloseimas portuguesas. Depois, nossa dica é ir até o Palácio Nacional da Ajuda, um dos museus mais bonitos de Lisboa e que já foi sede da Família Real. A região ainda conta com vários museus, como Museu Nacional dos Coches, que mostra as carruagens antigas da Corte Portuguesa. O passeio vale muito a pena! O ideal para se chegar a região de Belém é pegar o metrô ou ônibus - de qualquer parte da cidade, como na região da Baixa e de Marquês de Pombal - até a estação de trem de Cais do Sodré. Em seguida, essa estação do trem levar até a região de Belém, uma das mais bonitas de Portugal. A região é ideal para passar o dia inteiro e por isso rendeu um roteiro especial do Viagem Sem Escalas. Mosteiro dos Jerônimos A dica é começar o percurso pelo Mosteiro dos Jerônimos. A construção começou no início do século XVI, pelas mãos do rei Dom Manuel I. A construção conta com influência pombalina, com muita referência às índias e, por isso, rico em ícones tropicais, como palmeiras e animais. O formato de cordas simboliza a união, um clássico do estilo pombalino. Dentro da construção, há atrações turísticas, como o túmulo de Camões e ainda um jardim de inverno. Mais infos no site www.mosteirojeronimos.pt

Pastéis de Belém

Bem ao lado, há o restaurante onde são feitos os principais doces de Portugal, como os pastéis de Belém, que tem uma receita secreta e são feitos desde 1837. A fila é grande. Mas a espera vale a pena. Mais infos no site www.pasteisdebelem.pt

Museu dos Coches

Adoramos conhecer ainda o Museu Nacional dos Coches. Espaço com com as carruagens do século XI ao XIX. Ao olhar a coleção, é possível analisar a evolução dos veículos ao longo dos tempos, assim como as pinturas e as esculturas. Quando for a museu fique atento para ir no espaço novo, já que o antigo espaço ainda está aberto, mas conta hoje com poucos carros. Mais infos no site www.museudoscoches.pt Palácio Nacional da Ajuda

Mas para o alto de Belém, há o Palácio Nacional da Ajuda. A melhor forma para chegar ao palácio é pegar um táxi ou fazer um passeio de Tuk Tuk. No palácio, a família real de Portugal morou durante 20 anos, após o grande terremoto do fim do século XVIII. Depois surgiu a ideia de fazer um novo projeto para o Palácio, mas, por conta das invasões francesas à Portugal, o projeto não foi adiante. Algumas décadas depois a expansão foi abandonada de forma definitiva por questões financeiras. E até hoje é possível ver a parte do prédio inacabado e suas esculturas na entrada do Palácio, simbolizando a gratidão e generosidade. Mais infos no site www.palacioajuda.pt

Capelinha de São Jerônimo

No alto de Belém, no bairro de restelo, há a Capelinha, feita pelo governo brasileiro em comemoração ao quinto aniversário nascimento de Pedro Álvares Cabral, descobridor do Brasil. A melhor forma de chegar até o local é de Tuk Tuk ou de táxi. Da Capelinha, é possível ver a torre de Belém. A sensação é de paz. Em frente ao Mosteiro dos Jerônimos

Ao lado do Mosteiro dos Jerônimos, uma bela praça chama a atenção. Com um bonito jardim, que tal tirar uma bela foto em um mini palacete em formato tailandês (na foto acima)? Então, aproveite. É a hora de fazer fotos e passear. E há no jardim também uma passagem subterrânea para o outro lado da pista. Lá é onde está a Torre de Belém e o Padrão dos descobrimentos. Torre de Belém

A Torre de Belém foi construída no século XVI por Francisco da Arruda. O objetivo da construção era proteger Lisboa de invasões, pelo rio Tejo. A construção tem influências italianas, medievais e pombalinas. Os visitantes podem entrar no espaço para fazer fotos sob o rio Tejo! Para quem se animar é possível ainda entrar no Museu do Combatente e Museu de Arte Popular. Mais infos no site www.torrebelem.pt

Padrão dos Descobrimentos

Andando pela orla, há ainda outro monumento histórico: o Padrão dos Descobrimentos. Construído nos anos de 1960, o Padrão dos Descobrimentos tem um formato de caravela - com os grandes navegadores esculpidos. É lindo demais! A ideia foi fazer uma homenagem aos tempos da navegação do império português. Na entrada do monumento, existe uma linda Rosa dos Ventos no chão, onde o Viagem Sem Escalas fez muitas fotos. O Padrão dos Descobrimentos oferece ainda uma visita a seu interior, onde é possível ter uma vista panorâmica de Lisboa. Mais informações no site www.padraodosdescobrimentos.pt Ao lado do monumento, há um ótimo restaurante. Trata-se do Aura. O Viagem Sem Escalas foi e adorou. Colado ao Padrão dos Descobrimentos, há um pequeno píer. Local é perfeito para uma caminhada super relax. Tudo que amamos!

Veja o que fazer um dia inteiro em Lisboa, com o circuito Praça do Comércio - Rossio - Castelo de São Jorge. Clique AQUI.