Os melhores museus de Phoenix no Arizona

 

A cidade de Phoenix a é cultura. Visitar a capital do Arizona é ir além dos já conhecidos Grand Canyons. Por isso, que tal visitar belos museus? Há diversas opções: a céu aberto, espaço para crianças e até com a história dos índios. 

 

No Heritage Square em Phoenix

 

 

É um museu à céu aberto. A entrada é gratuita e está localizado em Downtown Phoenix. O objetivo é conhecer como é a Phoenix antiga, no melhor estilo faroeste. É hora de voltar ao fim de 1800 no século 19.  As casas antigas no estilo vitoriano se misturam a restaurantes dos séculos passados e te ajudam a voltar ao passado. Há ainda lojas que vendem itens curiosos, como roupas e cosméticos.

 

 

Destaque para O The Bungalow, onde é possível ver ferramentas antigas. Há ainda joias em estilo vitoriano das populares coleções 1928 e Downton Abby da Victorian Trading. A cerâmica artesanal da artesã Karen Flanigan e brinquedos de madeira feitos à mão por Jim Esdon

 

O mais bacana do local é que é possível entrar em um dos restaurantes no clima vintage e apreciar uma boa refeição. Tem a Pizzerie Bianco e o Bar Bianco.

 

 

De todas as casas, apenas uma tem entrada paga - o Rosson House Museum. É a casa da rainha Anne e foi restaurada em 1895. A Rosson House só é acessível através de visitas guiadas. Todos os passeios regulares duram aproximadamente 60 minutos.Custa US$ 10. 

 

Aproveite ainda para andar pelo jardim e se deliciar nesse museu incrível a céu aberto. Fica aberto até as 17h todos os dias.

 

Mais informações no site www.heritagesquarephx.org

 

No Heard Museum em Phoenix

 

 

É hora de conhecer o índio americano. No Heard Museum, a visita já começa na entrada, com um enorme jardim. Está localizado em Downtown Phoenix. O museu é o local ideal para conhecer a história indígena do país. Por isso, prepare-se para ver uma série de exposições especiais. 

 

A Grand Procession é uma exposição que celebra a história dos índios com uma coleção excepcional de bonecas, também conhecidas como esculturas macias, criadas por Jamie Okuma (Luiseño e Shoshone-Bannock), Rhonda Holy Bear (Cheyenne River Sioux e Lakota), entre outros. Os bonecos fornecem uma referência figurativa aos povos indígenas das grandes planícies e regiões da Grande Bacia que viveram nessas áreas durante o final do século XIX.

 

 

Yosemite de David Hockney e Masters of California Basketry destacam o impacto que Yosemite teve ao longo do tempo e espaço na produção artística, desde os habitantes indígenas originais do vale até um dos artistas mais famosos dos séculos 20 e 21.

 

 

É possível aprender muito sobre os povos nativos do sudoeste. Além de objetos culturais, a exposição mostra as tradições dos povos nativos do passado e do presente e examina sua definição de lar. 

 

Uma das coleções mais bacanas do museu é apreciar os objetos dos povos indígenas mundo afora. São peças adquiridas pelo casal Dwight e Maie Bartlett Heard, ao longo de suas viagens no mundo. "Em todo o mundo: A coleção Heard Museum" inclui itens do Canadá, México, Guatemala, Filipinas, Nova Zelândia, além de nações da África, mas nada do Brasil, infelizmente. 

 

Na parte externa do museu, mais um momento mágico. Esculturas fazem parte da exposição "American National Veterans National Memorial", com obras de arte que fazem uma homenagem aos índios dos EUA que participaram de conflitos entre os séculos 17 e 19. 

 

Mais informações em www.heard.org

 

No Arizona Science Center em Phoenix

 

 

O Arizona Science Center é um museu indicado para as crianças. De estilo moderno, o Arizona Science Center tem vários andares onde é possível estimular os sentidos. Em um das estruturas, os visitantes conseguem sentir o impacto do furacão, do vento e do calor. A ideia é refletir a força da natureza.

 

 

É possível ver ainda a formação das placas tectônicas, da formação dos vulcões e ainda o impacto do vento nos oceanos. É diversão pura. O Arizona Science Center tem ainda uma exposição do dinossauro Victoria T Rex, maior esqueleto de tiranossauro rex do mundo.

 

 

 

A exposição transporta os visitantes para um momento em que os dinossauros percorriam a terra, trazendo à vida uma das descobertas mais importantes da história da paleontologia e dando aos visitantes do museu a rara oportunidade de visitar o período cretáceo, onde a história de Victoria se desenrolará em seu habitat natural.  O dinossauro foi desenterrado  em Dakota do Sul, em 2013.  

 

 

 

O museu também tem um andar dedicado ao corpo humano. A ideia é entender como os órgãos funcionam. Por isso, é possível se divertir ao caminhar por um enorme estômago "funcional", completo com imagens, sons e cheiros do processo digestivo. Maquetes com os órgãos humanos permite entender como o corpo funciona. 

 

Mais informações no site www.azscience.org

 

O Viagem Sem Escalas conheceu a cidade de Phoenix à convite do Visit Phoenix. Mais informações em  www.visitphoenix.com

 

#myphx

Tags:

Please reload

Rafting em Phoenix, em pleno deserto

February 23, 2020

1/10
Please reload

O Nordeste do Brasil encanta. O Viagem Sem Escalas acaba de chegar em Cumbuco, cidade pertinho de Fortaleza, capital da ensolarada Ceará. Que terra linda! Para começar nossa trip, separamos algumas dicas para esquentar a nossa aventura.

1. Praia do Cumbuco

Nossa primeira...

>

Please reload

Pelo mundo a fora
Please reload