top of page
  • Foto do escritorViagem Sem Escalas

Em Tomar, uma visita ao Convento de Cristo

Atualizado: 9 de out. de 2022



ūüáĶūüáĻ O Viagem Sem Escalas decidiu conhecer um ¬† tesouro de Portugal localizado na √°rea central do pa√≠s, perto de cidades como F√°tima, Nazar√©, Batalha, Alcoba√ßa e Batalha.¬† Trata-se de Tomar,¬† uma cidade¬† intimamente ligada √† Ordem dos Templ√°rios que no s√©culo XII¬† se estabeleceu como recompensa pela ajuda prestada ao 1¬ļ rei de Portugal (D. Afonso Henriques) na reconquista crist√£ do territ√≥rio.





ūüŹįE foi em Tomar que a Ordem dos Templ√°rios estabeleceu um marco cultural: o Convento de Cristo, que foi classificado como patrim√īnio da humanidade¬† pela Unesco em 1983.




Não por acaso é um dos destinos mais concorridos do Centro de Portugal.





‚ú®No Convento,¬† comece pela Porta de Santiago e a Porta do Sol, com acesso ao p√°tio ‚ÄúPra√ßa de Armas‚ÄĚ. √Č na pra√ßa que h√°¬† alguns dos s√≠mbolos como o Alambor e a Torre de Menagem.





‚õ™ÔłŹA estrutura militar da constru√ß√£o foi inspirada nas fortifica√ß√Ķes do M√©dio Oriente. Do lado de fora √© poss√≠vel contemplar a Charola, de formato octogonal e o local de ora√ß√£o dos cavaleiros.





ūüĒĒAs refer√™ncias arquitet√īnicas re√ļnem caracter√≠sticas do estilo Manuelino, G√≥tico e Renascentismo.


ūüííA visita come√ßa j√° na bilheteria, localizado¬† dentro da Capela de S√£o Jorge.¬† √Č a √°rea mais g√≥tica do convento. A primeira parada j√° √© Claustro do Cemit√©rio, onde est√£o enterrados¬† religiosos e cavaleiros da Ordem de Cristo.





ūüĖľEm seguida, h√° o Claustro da Lavagem, espa√ßo em que se pode observar a √°rea interior do Castelo de Tomar com as ru√≠nas de onde estavam as habita√ß√Ķes dos reis de Portugal.


ūüííEm seguida, h√° a Igreja Manuelina, dentro da Charola. √Č um dos espa√ßos mais bonitos do Convento. O espa√ßo √© dedicada a Jesus Cristo e Maria e h√° muitas refer√™ncias a passagens da B√≠blia.





ūüĎĆAgora √© hora de conhecer a parte Renascentista do Convento. As diferen√ßas s√£o vis√≠veis, devido √†s linhas retas e contornos mais cl√°ssicos sem as caracter√≠sticas¬† t√≠picas do g√≥tico e manuelino com¬† refer√™ncias ao mar e as florestas tropicais. Trata-se do Convento Joanino.





ūüõŹH√° ainda o Dormit√≥rio do Cruzeiro, com dezenas de quartos onde os religiosos dormiam em clausura. Tem ainda o Calefat√≥rio, uma sala que fornecia o aquecimento aos outros quatros.





‚ė™ÔłŹTem ainda o Refeit√≥rio. E diversos outros claustros - como o da Hospedaria, criado para receber peregrinos,¬† o da Micha,¬†com a cozinha, a casa do forno e a procuradoria, e¬† dos Corvos, al√©m da Casa das Talhas, onde o azeite era armazenado. Incr√≠vel.





ūüí¶Tem ainda a enorme cisterna que recebia a √°gua da chuva para abastecer o convento.¬† ¬†






História: Afonso Henriques  doou aos Cavaleiros do Templo de Jerusalém uma vasta região entre o Mondego e o Tejo. Diz a lenda que, em 1160, os cavaleiros chegados à região escolheram um monte para estabelecer um castelo e o nome que lhe iriam dar: Tomar.



Em 1314, a Ordem do Templo foi extinta devido √†s persegui√ß√Ķes do rei de Fran√ßa, Filipe ‚Äď o Belo.¬† Depois,¬† em 1319, numa nova ordem ‚Äď a Mil√≠cia dos Cavaleiros de Cristo ‚ÄĒ¬† aparece¬† e¬† apoia Portugal¬† nas descobertas mar√≠timas dos s√©culos XV e XVI. Foi quando o espa√ßo quando a constru√ß√£o de um novo convento.






Como chegar: o ideal é ir de carro. Na entrada principal do Convento há um estacionamento. A dica é chegar cedo (antes das 10h) para conseguir uma vaga com tranquilidade.



„ā≥„É°„É≥„Éą


bottom of page